Pular para o conteúdo principal

Finalizada a primeira turma da Academia do Arquiteto


No dia 31 de Março, mesmo dia do Profissão Java 2012, foi finalizada a primeira turma da nova Academia do Arquiteto. Este é um marco muito importante para nós da Globalcode, pois é um curso que estávamos ensaiando resgatar há vários anos.

A versão original da Academia do Arquiteto esteve ativa de 2003 a 2006 e formou 16 turmas, das quais tive a oportunidade de ministrar 8! A carga horária era de 124 horas englobando diversos módulos de arquiteturas J2EE (na época era a versão 1.3), tecnologias como RMI, Corba, EJBs e teste de carga com JMeter. Será que tem algum leitor do blog que foi aluno naquela época? Se tiver sinta-se a vontade para se manifestar nos comentários!

Em 2006, decidimos quebrar o conteúdo em duas carreiras: Academia Enterprise e a nova Academia do Arquiteto. A Academia Enterprise pegou o contéudo relativo a EJBs e tecnologias relacionadas e continua ativa até hoje, com as devidas atualizações! A Academia do Arquiteto...

Bem, após 5 anos voltou com toda força! Aproveitamos para consolidar diversas práticas, APIs e tecnologias com as quais trabalhamos durante este tempo em alguns projetos de consultoria e montamos o novo treinamento! Acho que montamos um conteúdo bem interessante abordando ALM, testes, padrões de projeto, DSLs e diversos exemplos de arquiteturas.

Parabéns aos alunos da primeira turma! Espero que em breve possamos trocar idéias e informações em um fórum que vamos criar para os alunos e ex-alunos da Academia Arquiteto.


[]s
Kleber

Comentários

Nilson Uehara disse…
Curso muito bom e de alto nível. O Fórum vai ser muito bom para reunir a galera para debater as idéias e dúvidas.

Postagens mais visitadas deste blog

Saiba como programar para Arduino sem ter nenhum hardware disponível

O Arduino já é uma tecnologia muito difundida entre os amantes de tecnologia. É difícil encontrar um profissional da computação que não brincou um pouco com esta ferramenta de prototipagem ou, que gostaria de fazer isso. Porém, em alguns casos, o programador quer conhecer o arduino mas não dispõe de nenhum hardware, nem mesmo da placa. Como isso poderia ser resolvido? A primeira resposta seria aquela mais simples e direta: ir as compras. Isso pode ser feito em uma loja física ou pela internet. No meu caso, por exemplo, tive a felicidade de encontrar em um site (não me lembro qual) um kit arduino, com um conjunto de sensores e um DVD com 41 vídeo aulas. Mas digamos que o profissional não esteja passando por um bom momento financeiro, ou ainda, simplesmente não queira comprar o Arduino sem antes conhecê-lo um pouco melhor. Para a última situação também já existe uma resposta, e diga-se de passagem, uma excelente resposta. Trata-se do site 123D Circuits.io . Depois de criar seu u

Entendendo como funciona a programação de computadores: linguagens de programação, lógica, banco de dados

Nesse post, diferente dos últimos que foram mais enfáticos nas experiências com tecnologias, vou focar um pouco mais nos profissionais que estão começando, ou pretendem ingressar na área de desenvolvimento de software, falando sobre conceitos fundamentais relacionados a programação em geral . Mercado de trabalho para programação Conforme já sabemos, o mercado de desenvolvimento de software, especialmente no Brasil, continua em franca expansão, sendo que cada vez mais as empresas buscam desenvolver seus próprios sistemas usando as mais diferentes e novas tecnologias. Algumas matérias interessantes: As seis profissões mais valorizadas em 2010 no IDG Now! Muitas vagas e sensação de reaquecimento da economia Por isso, a área de desenvolvimento de software tem despertado interesse em muitos profissionais de outras áreas que desejam mudar de profissão, já que as oportunidades de trabalho tendem a ser maiores. Esse é um perfil presente em muitos dos clientes da Globalcode que acabou m

JSON fácil em Java com GSon !

Ola pessoal ! O formato JSON ( J ava S cript O bject N otation) vem se consagrando cada vez mais na comunicação de dados, principalmente nos dispositivos móveis devido a esse formato ser mais leve que o XML e também mais legível. Uma prova disso são as inúmeras bibliotecas que existem para manipular esse formato, e no caso do Android, o suporte ao JSON é nativo. Mas apesar de ter esse suporte nativo, algumas operações devem ser feitas manualmente e o código acaba ficando um pouco verboso e repetitivo, já que para cada objeto que se deseja transmitir é necessário fazer um método que lê as propriedades do JSON e faz as devidas atribuições no seu objeto Java. Vamos supor o seguinte objeto sendo transmitido em JSON: {   user: {     id: 123456,     name: "Neto Marin",     username: "netomarin",     email: "netomarin@globalcode.com.br"   } } Se você fosse tratar um Webservice que envia esse JSON para o seu aplicativo Android, além de criar a o