Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2010

Ginga-J: interatividade em nossa TV, não perca essa oportunidade!

Java esta presente no Sistema Brasileiro de TV Digital Terrestre com Ginga-J. Você que é desenvolvedor Java ou gostaria de ter interatividade em nossa TV, não perca essa oportunidade! Agora chegou a hora da comunidade mostrar a força na votação da ABNT. O Fórum do Sistema Brasileiro de TV Digital Terrestre (SBTVD), trabalhando com vários seguimentos da indústria e universidades brasileiras, criou a importante normatização para especificação da TV Digital. Um processo que esta sendo finalizado com a votação para aprovação da norma brasileira Ginga-J na Consulta Pública da ABNT. Passos para a votação (com base no post do Dimas Oliveira da Sun / Oracle http://dimas4u.multiply.com/journal/item/147/Vote_Ginga ): 1. Acesse o link http://www.abntonline.com.br/consultanacional/default.aspx 2. Será apresentada uma lista de CB . Escolha ABNT - CEE85 - Televisão  Digital 3. O projeto da Norma 06 Vol. 4 e a errata N06 Vol. 1 serão apresentados; 4. Um cadastro de email e senha será requis

2º Bate Papo do SP-GTUG - Divulgação

Pessoal, Para aqueles que já estiveram presentes nas atividades do SP-GTUG (encontros ou bate papos na Globalcode), e para os que ainda não puderam estar presentes, teremos um novo bate papo acerca de mais duas tecnologias do Google: AdSense e Python no GAE. Este será o nosso segundo bate papo do SP-GTUG, nos mesmos moldes dos minicursos da Globalcode . Local e data O bate papo acontecerá no dia 27/03/10, das 10:00 às 13:00 na Globalcode. Para fazer sua inscrição e participar acesse a home da Globalcode e vá até a parte de "Minicursos Gratuitos da Semana ". Conteúdo das apresentações Abaixo seguem as descrições passadas pelos palestrantes: Título: "Algoritmos em Python" Resumo: Python é uma linguagem considerada frugal, simples, sem ser simplória! Entenda como construir algoritmos ninjas com essa linguagem, adotada pela Google e pelo MIT. Veremos muito, muito código, desde algoritmos clássicos até tutoriais do

Conheça e faça parte do SP-GTUG!

Pessoal, Vocês conhecem (ou não) alguma tecnologia do Google ou tem interesse em conhecer outras? Querem estar por dentro das novidades sobre Android, AdSense/AdWords, GAE, GWT, Maps e outras tecnologias do Google? Então tomem ciência da existência do SP-GTUG (Grupo de Usuários de Tecnologia Google de São Paulo). Nesse grupo discutimos as novidades das tecnologias do Google por meio de bate-papos, encontros, apresentações, lista de discussão e projetos. Abaixo estão mais informações e esclarecimentos para que vocês se sintam "encorajados" a participar das iniciativas. Mas, o que é o SP-GTUG e como surgiu? A idéia para formação de um GTUG em SP partiu de algumas pessoas presentes no Google Developer Day 2009 . Victor B. Vieira , André Pantalião e outros foram os idealizadores do SP-GTUG, que era de imprescindível existência para uma cidade como São Paulo, pelo seu tamanho, poder econômico e tecnológico que são indiscutíveis. Outros grandes estados do Bra

CInTeQ 2010: Rex Black e testes ágeis

"De chiquilín te miraba de afuera ...", começa o tango. "Quando era moleque te olhava de fora". Essa nostalgia tangueira foi evocada quando li algumas coberturas do CInTeQ 2010, que aconteceu aqui mesmo em SP nos dias 22 e 23/03. Infelizmente, não pude comparecer. Felizmente, foi anunciada uma nova edição para o próximo ano, e farei todo o possível para participar. Da cobertura, me chamou a atenção o foco de algumas das palestras, particularmente a do Rex Black (um dos papas do teste de software), sobre agilidade. Gostaria muito de ter assistido a palestra. Segundo a cobertura do Fabrício Ferrari, do QualidadeBR ( http://bit.ly/9Tw2Ys ) , ele abordou assuntos como o papel da automação, gestão dos testes no contexto de Scrum, testes exploratórios e testes baseados em risco. É ótimo ver que, também na área de testes, os conceitos da agilidade começam a fazer parte da corrente principal dos projetos de tecnologia da informação. Talvez no Brasil ainda a gente esteja

Aplicação web com Spring no Cloud Foundry

Um tempo atrás experimentei o mecanismo de cloud da SpringSource chamado de Cloud Foundry (CF). Para isso foi necessário criar uma conta na Amazon Web Services (AWS - infra estrutura de cloud da Amazon) e deixar o número do meu cartão de crédito. Pude notar que o Cloud Foundry é uma ferramenta que permite a criação e configuração de uma máquina virtual (VM) na AWS com apenas alguns cliques na interface administrativa. A VM criada pelo CF é composta por um Linux da distribuição CentOS, um Apache Web Server, um SpringSource tc Server (Tomcat adaptado) e uma instância de MySQL. Já o AWS é quem hospeda a VM totalmente configurada pelo CF. Também é possível criar diferentes máquinas virtuais diretamente na interface administrativa do AWS. Tudo começa com a criação de uma conta no AWS e a indicação de um cartão de crédito para as cobranças. Após aguardar até 24h para confirmação do número do cartão, o AWS disponibiliza o acesso à interface administrativa. Através desta interface torn

Browsers para todos os gostos e um aperitivo de Selenium nas nuvens

Em 1989, foi derrubado o muro de Berlim. O ensaista Francis Fukuyama decretou o "fim da história": o capitalismo norteamericano havia vencido a guerra fria com seu sistema rival, o antes temido comunismo soviético. De fato, o sistema capitalista se tornou dominante, com a exceção de um par de cenários de reality show onde moram alguns milhões de pessoas: o Pedro Bial de um deles usa um topete midiático e o outro, que não raspa a barba há meio século, virou garoto propaganda da Adidas. Na geopolítica, de lá pra cá, a hegemonia norteamericana sofreu abalos: vivemos em um novo mundo multipolar, onde outros atores passaram a crescer em relevância, principalmente os BRICs. Em 2002/2003, a primeira guerra dos browsers também chegou ao fim. Com mais de 95% de participação, o Internet Explorer se tornou o único browser relevante. Os webdesigners colocavam avisos dizendo que, se você não atualizasse seu browser para IE 6, você não teria o privilégio de visitar aquele site. Assim,

10 reasons why we love JSF

1. One-slide technology: it's so simple that I can explain basic JSF with one slide. 2. Easy to extend: components, listeners, render kit, Events, Controller, etc. 3. Real-world adoption: JBoss, Exadel, Oracle, IBM, ... 4. Architecture model: you can choose between more than 100 different architecture. 5. Open-mind community: using JSF you are going to meet very interesting people. 6. We are using JSF the last 5 years and we found very good market for JSF in Brazil 7. Progress: look to JSf 1.1 to JSF 1.2, JSF 1.2 to JSF 2.0. People are working really hard! 8. Many professionals now available 9. It's a standard. It's JCP. Before complain, report and help! 10. Ed Burns, spec leader, is an old Globalcode community friend! EXTRA: My wife is specialist in JSF. She's my F1 for JSF :) Nice job JSF community! -Vinicius Senger

Vídeo sobre JSF2 e ScrumToys disponível

O pessoal do JavaBahia disponibilizou na rede o vídeo gravado durante o evento LinguÁgil com a palestra JSF 2.0 e ScrumToys . Este vídeo traz a contribuição da Globalcode no evento ao falar sobre o que é JSF, as deficiências do JSF 1.2 como motivação para as melhorias no JSF 2.0 e a execução ao vivo e a cores do projeto demo ScrumToys (com direito a um bug no final!). Vale a pena conferir! JSF 2.0 e Scrum Toys from LinguÁgil on Vimeo . A demonstração completa do ScrumToys (sem bugs!) foi apresentada em outro post neste blog através de um vídeo disponível no youtube. Vejam em: Globalcode contribuiu pro LinguÁgil 2009 em Salvador/BA . Instruções para baixar todo o código fonte do projeto ScrumToys estão disponíveis no post: JSF 2.0 e ScrumToys . Além de um vídeo completo ilustrando como executá-lo através do NetBeans 6.8 em: ScrumToys disponível no NetBeans 6.8 . By Spock http://blog.spock.com.br/ http://twitter.spock.com.br/ http://www.springbrasil.com.br/

PrimeFaces com JSF2 no ScrumToys

O JSF traz um grupo de componentes visuais prontos, a partir da versão 2.0 com suporte a Ajax nativo! Melhor que isso é a possibilidade de customizar ou utilizar uma suíte de componentes prontos para "turbinar" o projeto com o minimo de esforço. PrimeFaces é uma suite de componentes JSF customizados, a maioria com suporte a ajax, conta com um Kit para desenvolvimento mobile, é open source, a documentação é razoável, facíl de instalar e usar. Nesse exemplo utilizo o PrimeFaces 2.0.0, versão com suporte a JSF 2, no ScrumToys. Conheçe o ScrumToys ? ScrumToys é um Projeto Exemplo para JavaServer Faces 2.0 dentro do NetBeans 6.8, criado e mantido pelo time da Globalcode. É interessante que você tenha o NetBeans 6.8 para fazer esse exemplo, senão tiver baixe aqui . Baixe também, aqui , o PrimeFaces e o configure no NetBeans como biblioteca para o ScrumToys. Inicialmente o PrimeFaces requer a runtime JSF, mas isso pode variar dependendo de quais componentes você utilize, mai

7 Boas Práticas de Desenvolvimento com Spring Framework

Durante o desenvolvimento da apresentação realizada pelo colega Ricardo Jun para o TDC 2009 da Globalcode realizamos uma compilação de várias boas práticas de desenvolvimento com o Spring Framework. Baseado na experiência e pesquisas em sites na internet, estas práticas foram reunidas e selecionadas para a apresentação no TDC. Contudo, algumas boas práticas discutidas não foram tratadas completamente neste evento. Então, reuni neste post algumas destas práticas resultando nas seguintes "7 Boas Práticas de Desenvolvimento com Spring Framework": Prática 1: Separe a interface da implementação dos componentes Esta prática favorece a implementação de testes e o uso de mocks, favorece o uso futuro de OSGi e o Spring dm Modules. Diversos serviços gerenciados pelo Spring são aplicados aos componentes através de AOP com proxies dinâmicos. Prática 2: Configure os componentes de negócios através de anotações e alguns serviços tecnológicos através de XML Esta prática reduz a q

Impressione os seus amigos com o SpringSource Tool Suite

Como disse o Dr. Tool (Ricardo Jun) durante a apresentação realizada por ele no Casual Class sobre a plataforma Spring: O SpringSource Tool Suite é um Eclipse com esteroides! Apesar da base do SpringSource Tool Suite (STS) ser o Eclipse, ele não para por aí. Os plugins 'Spring IDE', m2eclipse (suporte a Maven) e integração com o tc Server e dm Server estão presentes. Num único pacote e numa simples instalação já temos um ambiente muito produtivo para usar as anotações Spring, inspecionar a árvore de dependências entre os componentes e numa única visão saber quais os componentes anotados que estão espalhados pelo classpath da aplicação. Além de tudo isso tem o suporte a Spring Roo, Roo Shell e AspectJ. O uso de programação orientada a aspectos (AOP) via AspectJ é simplificado consideravelmente. Se for realizar um projeto baseado na plataforma Spring, vale a pena dar atenção ao SpringSource Tool Suite e impressionar os seus amigos (e gerentes!) com a produtividade proporciona

Roo Replay

Durante a demo de Roo no Spring Casual Class cometi um erro, ao executar o Roo Shell em um diretório diferente do que havia sido planejado. Conclusão, os artefatos do Roo foram criados onde eu não queria. Ao perceber o erro saí do Roo Shell, mudei para o diretório correto e avisei: "Vamos ter um replay dos comandos", aproveitando a oportunidade para reforçar como é realmente rápido construir software com o Roo Shell. Do meio da platéia surgiu: "Não vai me dizer que o Roo tem um comando de replay ?". Tem sim... http://springbrasil.ning.com/profiles/blogs/roo-replay Neste post do Spring Brasil User Group também consta a aplicação demo utilizada durante o Casual Class. Renato Bellia http://notasingleshot.blogspot.com http://twitter.com/renatobellia

Academia do Programador no Ensino Médio

Logo após o lançamento da Academia do Programador , esta carreira foi apresentada para a Flávia Teresa de Lima, que é a Coordenadora Pedagógica do Ensino Médio da Escola Fernão Gaivota , que após verificar o pré-requisito, o conteúdo e os objetivos, ressaltou: “Trabalhar este conteúdo ajudaria o desenvolvimento do pensamento lógico, visto que o exercício realizado na resolução de um problema computacional consiste na análise dos objetivos determinados, das ferramentas disponíveis, bem como a definição dos passos necessários para alcançar estes objetivos possibilita a reversibilidade do pensamento e o pensamento antecipatório. Habilidades que são fundamentais para a construção do conhecimento.” Então a ideia de incluir a Academia do Programador como conteúdo integrante do Ensino Médio foi amadurecendo e foi definido que em 2010 os alunos do 2º ano do Ensino Médio teriam 2 aulas semanais dedicadas a Academia do Programador, totalizando as 80h desta carreira. A experiência que tive

Andando nas nuvens com a plataforma Spring

Como parte da programação do Casual Class realizado pela Globalcode sobre a plataforma Spring, o Júlio Viegas apresentou sobre como usar as ferramentas da SpringSource para colocar uma aplicação em cloud. O Júlio falou sobre a ferramenta online Cloud Foundry da SpringSource e mostrou os passos necessários para abrir uma conta no Amazon Elastic Compute Cloud e depois subir uma aplicação web com Spring numa máquina virtual na rede via Spring Tool Suite e o Cloud Foundry. Spring + Cloud Computing By Spock http://blog.spock.com.br/ http://twitter.spock.com.br/ http://www.springbrasil.com.br/

Testes: 9° Encontro da ALATS-SP, 6/3 na Globalcode

Neste sábado, teremos a honra de receber nossos amigos da comunidade de testes aqui no auditório da Globalcode. A seção São Paulo da ALATS (Associação Latinoamericana de Teste de Software) promove mensalmente estas reuniões, promovendo a troca de conhecimentos dentro da comunidade. A ALATS-SP tem sido muito ativa na evangelização da importância do teste de software para a tecnologia da informação. Esta campanha de evangelização de testes inclui a figura dos DRAs (Diretores Regionais Adjuntos), profissionais voluntários que promovem palestras, encontros e escrevem artigos na internet. Eu sou um deles. Se você já atua em teste de software, ou deseja iniciar sua atuação na área, será uma boa oportunidade de absorver conteúdo e trocar ideias com outros profissionais. Atenção : o evento não é gratuito, pois há uma pequena taxa para custear as despesas da ALATS, e a inscrição deve ser feita até sexta 5/3 às 16:00, exclusivamente através da URL indicada abaixo. Inscrição, pagamento e ma

15 minutos de produtividade com o Dr. Roo

Como resultado do Casual Class sobre a plataforma Spring realizado no dia 26/fev, o Renato Bellia ( @renatobellia ) preparou e usou os slides a seguir para falar sobre o Spring Roo. Spring Roo Estes slides não estão formatados como slidecast, mas 15 minutos de gravação da apresentação foram capturados com a caneta mágica que roda Java da Livescribe e podem ser ouvidos através do painel a seguir. Mais sobre o Spring Roo: Home Spring Roo Upcoming conferences and JUGs featuring Roo Hello Roo Spring Roo em Ação Beginning With Roo: The Tutorial By Spock http://blog.spock.com.br/ http://twitter.spock.com.br/ http://www.springbrasil.com.br/

Exemplo de CRUD para o AppEngine(Struts 2 + Google Guice + JPA)

E dando continuidade a série "Who wants to be a milionaire"... Ok, então você já teve a sua idéia milionária, já deu uma lida no Google AppEngine(GAE) depois do meu último post mas agora tá faltando aquele 'empurrãozinho' para iniciar seu projeto. Tudo bem, aqui vai um empurrão ladeira abaixo... Vou detalhar neste post uma aplicação completa(CRUD) utilizando alguns frameworks Java(Struts 2, Google Guice, JPA) sendo hospedada no Google AppEngine(GAE). Não vou entrar em detalhes específico de cada um dos frameworks pois precisaria de algumas dezenas de posts para isso, o intuito é somente a adaptação necessária para ser executada no GAE, e alguns comentários sobre a arquitetura do projeto. > Struts 2 Infelizmente não é plug-and-play neste ambiente, porém para utilizar o Struts 2 no ambiente do GAE, as modificações são bem simples. A primeira delas é em relação ao framework Ognl que para execução de Reflection acaba esbarrando em algumas problemas de segurança.