Pular para o conteúdo principal

Open Banking, um conceito para conhecer agora!

Open banking


A inovação tecnológica molda as novas soluções de mercado e, embora algumas delas já tenham caído nas graças do público, como o machine learning, há outro conceito mais abrangente: o Open Banking.

Teremos a primeira Trilha de Open Banking no The Developer's Conference e criamos este artigo, com a revisão e colaboração do Flávio Pimenta, um dos coordenadores membro do comitê técnico do TDC e da trilha Open Banking, para te contar porque o tema é tão importante e vale a pena se envolver agora!

Essa abordagem descreve como os bancos permitem que provedores financeiros regulamentados acessem, usem e compartilhem os dados bancários dos clientes. Porém, tudo é feito apenas com o consentimento do usuário.

Assim que a permissão é concedida, esses provedores de serviços regulamentados poderão agregar as informações que precisam, analisar e começar a criar um perfil de consumidor qualificado.

Hoje, os dados financeiros pessoais são digitais e os consumidores podem acessar, gerenciar e interagir com suas finanças em qualquer lugar, na palma das suas mãos. E, o objetivo do Open Banking é elevar a experiência de finanças pessoais dos clientes.

Embora ver o saldo da sua conta e transferir dinheiro de imediato sejam grandes feitos, eles são apenas a base do que esse conceito pode fazer.

Outros recursos de finanças pessoais oferecidos pelo Open Banking são:

  • dicas de orçamento;

  • recursos de comparação de preços;

  • aconselhamento personalizado sobre os melhores investimentos.

Dessa forma, as finanças passam de reativas a proativas, já que agora você tem um parceiro em segundo plano, analisando dados constantemente e sugerindo o melhor curso de ação considerando o bem-estar financeiro dos seus negócios.

Quer saber mais sobre o assunto? Continue a leitura e conheça os pilares do Open Banking, seu impacto e relação com os desenvolvedores.

Pilares do Open Banking

O Open Banking inclui três pilares principais, que devem ser seguidos de perto de modo que todos os envolvidos nesse ecossistema possam se beneficiar.

Embora todos sejam fundamentais para desenvolver disciplina nos negócios, cada país pode optar por prestar atenção a alguns deles visando uma implementação eficiente.

  • tech: uso de tecnologia de ponta com mecanismos seguros para proteger informações financeiras;

  • análise de dados: as informações são esmiuçadas para oferecer a melhor experiência aos usuários e clientes;

  • comportamento: o Open Banking é resultado das mudanças tecnológicas, regulatórias e, principalmente, do comportamento do cliente.

Entenda os impactos dessa tendência para o mercado

A consultoria McKinsey estima que de 75 a 80% das operações transacionais (operações contábeis gerais e processamento de pagamentos) e até 40% de atividades estratégicas (relatórios, tesouraria, planejamento e análise financeira) podem ser automatizadas.

A equipe de operações terá um conjunto variado de tarefas, portanto, precisará de habilidades diferentes.

Em vez de processar transações ou compilar dados, eles usarão a tecnologia para aconselhar os clientes sobre as melhores opções financeiras e produtos, além de realizar resolução criativa de problemas e desenvolver produtos e serviços que visam melhorar a experiência do usuário.

Os bancos, em outras palavras, vão se parecer empresas de tecnologia.

Customer Centric e Customer Experience

O Open Banking está, rapidamente, se tornando sinônimo de banco centrado no cliente. A prática permite que provedores de serviços financeiros terceirizados tenham acesso aberto aos dados, transações e histórico bancário dos usuários do banco.

Essas informações são compartilhadas com uso de APIs, que conectam bancos a serviços financeiros não bancários.

A ligação entre Open Banking, Customer Centric e Customer Experience é a flexibilidade. Quando se sabe mais sobre as preferências do cliente, históricos de pagamento e necessidades gerais, os serviços financeiros podem ser adaptados às suas necessidades.

Relacionamentos fortes podem ser formados. Além disso, é uma oportunidade dos bancos recuperarem a confiança e o respeito que, normalmente, são desgastados devido à:

  • taxas injustas;

  • violações de dados;

  • produtos sem brilho;

  • experiências de alto atrito.

Economia de APIs

A economia da API representa novos fluxos de receita emergentes devido à maior integração e conectividade entre pessoas, lugares, aplicativos, fluxos de dados e algoritmos.

Essencialmente, é o negócio de produzir valor ao compartilhar suas informações e elementos de interface com outras empresas, ou consumir seus serviços.

Ao trazer especificações padronizadas às APIs no Open Banking, o Banco Central proporciona que as instituições falem a mesma língua. Assim, o desenvolvimento das integrações ao redor desse ecossistema se torna mais rápido e fácil para os desenvolvedores. 

Agora, a partir da implementação das APIs, as áreas de negócio conseguem vislumbrar as estratégias para competir nessa nova vertente de mercado que se apresenta. 

Superapps

Uma das revoluções que esse tipo de negócio apresenta são os serviços financeiros. O WhatsApp, por exemplo, permite aos seus clientes enviarem e receberem dinheiro.

Em relação ao setor bancário, um relatório da consultoria KPMG aponta que, enquanto as instituições financeiras realizam atividades regulamentadas, esses superapps mantêm a experiência e o relacionamento com o cliente.

A consultoria recomenda que os bancos arrisquem nos mercados em que não há superapps que liderem esses serviços, e abram sua arquitetura programática pelo Open Banking e APIs para criar seus próprios superapps de serviços financeiros.

Usabilidade, personalização e inovação

À medida que mais opções de migração estão disponíveis aos clientes, as instituições precisam investir em soluções simples, intuitivas e de excelente usabilidade para atrair um público maior. Essa plataforma deve proporcionar simplicidade e agilidade nas transações.

Da mesma forma, o banco precisa compreender o cliente com intuito de apoiá-lo individualmente e oferecer uma experiência personalizada.

Por fim, a inovação permite que as instituições financeiras evoluam com as soluções que estão usando e acelerem a criação de serviços ainda melhores.

Relação Open Banking x desenvolvedores

O objetivo do Open Banking é resolver os desafios que antes eram ineficientes ou não foram tratados. Por isso, é um instrumento ideal de modo a construir uma variedade de serviços inovadores adaptados a vários negócios, incluindo:

  • auditoria;

  • e-commerce;

  • contabilidade;

  • gestão financeira.

Combinado a plataformas móveis, o Open Banking oferece acesso seguro e rápido a serviços financeiros em qualquer lugar e no formato mais confortável para o usuário.

Os desenvolvedores precisam se envolver com essa tendência e acompanhar sobre o assunto com objetivo de potencializar os resultados das suas ações.

Afinal, o papel do desenvolvedor é significativo para empresas que trabalham com esse modelo de negócio.

Se você gostou de saber mais sobre esse conceito e quer se aprofundar no assunto, acompanhe a trilha Open Banking no TDC CONNECTIONS para dar um salto em sua carreira!

O futuro é Open!

Como desdobramento do Open Banking temos o projeto Open Finance, que envolve mais serviços que terão seus dados compartilhados, como no caso dos investimentos. E, seguindo esta onda, a SUSEP se adiantou e trouxe a proposta do Open Insurance para a área de seguros, que também está a todo vapor.

Open Health e Open Education já estão sendo fomentados e, em breve, chegarão acelerando a competição nesses setores.

Além desses, quais serão as próximas iniciativas “Open”?

Fica aqui nosso convite para participar da 1.ª Trilha Open Banking do TDC Connections, que acontecerá no dia 24 de março. Saiba mais e inscreva-se!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Entendendo como funciona a programação de computadores: linguagens de programação, lógica, banco de dados

Nesse post, diferente dos últimos que foram mais enfáticos nas experiências com tecnologias, vou focar um pouco mais nos profissionais que estão começando, ou pretendem ingressar na área de desenvolvimento de software, falando sobre conceitos fundamentais relacionados a programação em geral . Mercado de trabalho para programação Conforme já sabemos, o mercado de desenvolvimento de software, especialmente no Brasil, continua em franca expansão, sendo que cada vez mais as empresas buscam desenvolver seus próprios sistemas usando as mais diferentes e novas tecnologias. Algumas matérias interessantes: As seis profissões mais valorizadas em 2010 no IDG Now! Muitas vagas e sensação de reaquecimento da economia Por isso, a área de desenvolvimento de software tem despertado interesse em muitos profissionais de outras áreas que desejam mudar de profissão, já que as oportunidades de trabalho tendem a ser maiores. Esse é um perfil presente em muitos dos clientes da Globalcode que acabou m

Seja um Palestrante do TDC Connections 2022

A Equipe TDC está muito feliz e orgulhosa em começar mais uma jornada de eventos em 2022 e criar muitas oportunidades! Agora, chegou o momento para você que sempre quis ser palestrante mas não teve oportunidade, e também de quem já é palestrante experiente, e está ansioso para compartilhar aquela nova prática ou caso de sucesso fresquinho, submeter sua palestra para o TDC Connections e co-criar conosco o maior evento de desenvolvedores do Brasil.  Link de inscrição: https://cfp-conn.thedevconf.com.br/?_ga=2.103579840.1386204218.1643036190-1988609034.1631800014 Confira aqui o calendário do TDC 2022. Nesta edição teremos muitas novidades e você poderá palestrar de forma Online ou Presencial! Entenda como vai funcionar o TDC CONNECTIONS: Nesta edição, além de todo o conteúdo dividido em Trilhas transmitidas ao vivo (13 trilhas simultâneas) também teremos dois eventos híbridos em Recife e Belo Horizonte, que terão uma trilha por dia, ao vivo, para um público limitado, seguindo protocolo

JSON fácil em Java com GSon !

Ola pessoal ! O formato JSON ( J ava S cript O bject N otation) vem se consagrando cada vez mais na comunicação de dados, principalmente nos dispositivos móveis devido a esse formato ser mais leve que o XML e também mais legível. Uma prova disso são as inúmeras bibliotecas que existem para manipular esse formato, e no caso do Android, o suporte ao JSON é nativo. Mas apesar de ter esse suporte nativo, algumas operações devem ser feitas manualmente e o código acaba ficando um pouco verboso e repetitivo, já que para cada objeto que se deseja transmitir é necessário fazer um método que lê as propriedades do JSON e faz as devidas atribuições no seu objeto Java. Vamos supor o seguinte objeto sendo transmitido em JSON: {   user: {     id: 123456,     name: "Neto Marin",     username: "netomarin",     email: "netomarin@globalcode.com.br"   } } Se você fosse tratar um Webservice que envia esse JSON para o seu aplicativo Android, além de criar a o

PrimeFaces com JSF2 no ScrumToys

O JSF traz um grupo de componentes visuais prontos, a partir da versão 2.0 com suporte a Ajax nativo! Melhor que isso é a possibilidade de customizar ou utilizar uma suíte de componentes prontos para "turbinar" o projeto com o minimo de esforço. PrimeFaces é uma suite de componentes JSF customizados, a maioria com suporte a ajax, conta com um Kit para desenvolvimento mobile, é open source, a documentação é razoável, facíl de instalar e usar. Nesse exemplo utilizo o PrimeFaces 2.0.0, versão com suporte a JSF 2, no ScrumToys. Conheçe o ScrumToys ? ScrumToys é um Projeto Exemplo para JavaServer Faces 2.0 dentro do NetBeans 6.8, criado e mantido pelo time da Globalcode. É interessante que você tenha o NetBeans 6.8 para fazer esse exemplo, senão tiver baixe aqui . Baixe também, aqui , o PrimeFaces e o configure no NetBeans como biblioteca para o ScrumToys. Inicialmente o PrimeFaces requer a runtime JSF, mas isso pode variar dependendo de quais componentes você utilize, mai

Top 4 desafios do gestor de TI e como superá-los

  O setor de TI se apresenta como uma área essencial ao desenvolvimento e expansão da empresa, em especial, aquelas que têm a criação de soluções tecnológicas como core business. O mercado dinâmico da atualidade, com mudanças constantes e concorrência elevada, exige aperfeiçoamento do gestor de TI para se destacar em suas atividades. Pensando em te ajudar nesse processo, separamos 4 desafios do gestor de TI e como superá-los. Acompanhe! Transformação digital na atualidade A transformação digital é constante e define os caminhos futuros da nossa sociedade. Por isso, o setor de TI vem se tornando mais estratégico em empresas de todos os segmentos. O home office é um bom exemplo de como a revolução digital está se processando. Vamos falar sobre ele e outros pontos nos tópicos a seguir. Confira! Desafios do gestor de TI Para se manter atualizado sobre o tema e permanecer competitivo no mercado, é  necessário acompanhar as tendências de TI . Confira, abaixo, alguns dos principais desafios d

TDC Digital: o que você precisa saber para transformar sua carreira em 2022

O TDC Digital é o maior evento de TI do mercado e proporciona crescimento profissional a partir de palestras com especialistas e oportunidades de networking com o mundo todo, direto da sua casa. Através da escolha individual de cada participante é possível obter experiências imersivas e transformadoras conforme o tema-chave de cada trilha.  O evento também é o lugar ideal para ajudar no desenvolvimento de carreiras, permitindo que qualquer pessoa com vontade — e um tema interessante — seja palestrante e compartilhe suas experiências e conhecimentos. Para aqueles que querem  participar como ouvinte a plataforma do TDC favorece conferências dinâmicas, e o encontro de diversas comunidades e ecossistemas de TI. E, após a escolha de uma trilha, fica mais fácil acompanhar especialistas para aprender e se inspirar. Em 2021, o The Developer’s Conference (TDC) foi 100% digital e, em três dias de evento, contou com mais de 300 horas de conteúdos , incluindo: Agile; Testes; Design; Web e Mobile;