Pular para o conteúdo principal

@linguAgil 2011. Eu fui.

Não vou fazer um resumo do evento neste post, se você não foi ao @linguAgil2011 simplesmente perdeu um PUTA evento. Que saber como é? Participe do próximo :-)

Sempre gostei bastante da ideia do evento misturar diversas comunidades com culturas diferentes em um único evento.

Afinal parafraseando Henrique Bastos, "apenas com a troca frenética de conhecimento, conseguimos crescer, abrir a mente para novas ideias".

No primeiro dia, ministrei uma oficina sobre HTML5. O que mais me chamou a atenção foi a participação de profissionais de outras áreas formação, isto já me mostrou logo toda a diversidade existente.

Logo após as oficinas partimos para uma #horaextra em um barzinho na lindíssima orla de Salvador, entre alguns chopps e vários pasteis de camarão trocamos informações sobre futuros produtos, ideias, modelo de negócios, processo de desenvolvimento, artes marciais, Mountain Bike, etc.

No segundo dia com o fim das oficinas, chegou a hora das palestras. Confesso que fiquei nervoso em palestrar no evento era muita gente boa reunida.

O dia começou com Henrique Bastos falando sobre Empreendendo Comunidades de Sucesso, basicamente ele mostrou como e possível fazer, com simples ato de tirar a bumbum da cadeira.

Michel Goldenberg demonstrou claramente os problemas com a falta de motivação do seu time,
e algumas técnicas que podem auxiliar a solução deste problema. A grande conclusão tirada foi
não vai existir técnica que ajude você nesta missão, se o ambiente da sua empresa não propiciar isto.

Eu, repeti + ou - minha ultima palestra no JavaOne Brasil, tentei mostrar porque devemos pensar em arquitetura quando falamos de REsT, e a importância de tentar adequar as novas tecnologias ao JSF, já que a mudança para tecnologias mais "produtivas" não e tão fácil quando se diz, algumas pessoas esquecem que principalmente o Governo investe em Java há 10 anos e nem sempre a mudança para uma nova tecnologia e fácil por uma serie de fatores.


Partimos para um video muito legal do @porKaria falando sobre APP Nativas x Web Aplications no mundo mobile, é uma rápida entrevista com a Sheila e seu João dois diferentes usuários de aplicações mobile.




Aproveitando o gancho começaram os Lightning Talks do Grupo Linguagem, IOs, Android, Titanium, SL4A, Corona* foram apresentados de uma forma bem humorada que somente na Bahia seria possível.

*Rafa, desculpa acabei esquecendo de citar seu lightning talk sobre Corona. :-)

A palestra do Gustavo e do Klaus acabei perdendo, com toda certeza perdi muito conhecimento os caras são soda.

Agora o grande momento do evento, o fishbowl. A galera começou meia tímida, mas logo foram entrando no clima, o resultado foi uma explosão de ideias e debate sobre como desenvolver os cursos e comunidades tecnológicas da Bahia, doutores, alunos, palestrantes todos no mesmo nível sem hierarquia colocando suas ideias suas visões e claro contribuindo para distribuição do conhecimento.



Obrigado a organização do @linguAgil pelo convite, e já estou me convidando para o @linguAgil 2011.



Ps.
I - Apartir deste ano o #Cravinho se torna uma marca do @linguAgil
II - O Henrique tocou no assunto, eu levei a fama, e o Klaus se acabou no #cravinho
III - Novos amigos, amo vc6.

{}`s

Raphael Adrien
http://twitter.com/raphaeladrien
http://twitter.com/R3_TI

Comentários

Rafael disse…
Putz, eu sei que o meu LT não foi dos melhores, mas não precisava ignorar a existência dele! :) Foi sobre desenvolvimento de jogos mobile com o Corona SDK.
No próximo LinguÁgil você que ache o taxi e o hotel sozinho de madrugada... rsrsrsrs
Raphael, seu post resumiu muito bem tudo que rolou, Fico feliz que você, "vindo de fora", tenha entendido tão bem o espírito. E além do que você citou, tivemos várias oportunidades de trocar ideias sobre os mais diversos assuntos. Isso não tem preço... Até 2012 ou em alguma edição extraordinária. Valeu!
Raphael disse…
Rafael, acabei de corrigir o post.
1.000 desculpas :-)
Unknown disse…
Muito bom Raphael!!! Volte sempre!

Postagens mais visitadas deste blog

Saiba como programar para Arduino sem ter nenhum hardware disponível

O Arduino já é uma tecnologia muito difundida entre os amantes de tecnologia. É difícil encontrar um profissional da computação que não brincou um pouco com esta ferramenta de prototipagem ou, que gostaria de fazer isso. Porém, em alguns casos, o programador quer conhecer o arduino mas não dispõe de nenhum hardware, nem mesmo da placa. Como isso poderia ser resolvido? A primeira resposta seria aquela mais simples e direta: ir as compras. Isso pode ser feito em uma loja física ou pela internet. No meu caso, por exemplo, tive a felicidade de encontrar em um site (não me lembro qual) um kit arduino, com um conjunto de sensores e um DVD com 41 vídeo aulas. Mas digamos que o profissional não esteja passando por um bom momento financeiro, ou ainda, simplesmente não queira comprar o Arduino sem antes conhecê-lo um pouco melhor. Para a última situação também já existe uma resposta, e diga-se de passagem, uma excelente resposta. Trata-se do site 123D Circuits.io . Depois de criar seu u

Entendendo como funciona a programação de computadores: linguagens de programação, lógica, banco de dados

Nesse post, diferente dos últimos que foram mais enfáticos nas experiências com tecnologias, vou focar um pouco mais nos profissionais que estão começando, ou pretendem ingressar na área de desenvolvimento de software, falando sobre conceitos fundamentais relacionados a programação em geral . Mercado de trabalho para programação Conforme já sabemos, o mercado de desenvolvimento de software, especialmente no Brasil, continua em franca expansão, sendo que cada vez mais as empresas buscam desenvolver seus próprios sistemas usando as mais diferentes e novas tecnologias. Algumas matérias interessantes: As seis profissões mais valorizadas em 2010 no IDG Now! Muitas vagas e sensação de reaquecimento da economia Por isso, a área de desenvolvimento de software tem despertado interesse em muitos profissionais de outras áreas que desejam mudar de profissão, já que as oportunidades de trabalho tendem a ser maiores. Esse é um perfil presente em muitos dos clientes da Globalcode que acabou m

JSON fácil em Java com GSon !

Ola pessoal ! O formato JSON ( J ava S cript O bject N otation) vem se consagrando cada vez mais na comunicação de dados, principalmente nos dispositivos móveis devido a esse formato ser mais leve que o XML e também mais legível. Uma prova disso são as inúmeras bibliotecas que existem para manipular esse formato, e no caso do Android, o suporte ao JSON é nativo. Mas apesar de ter esse suporte nativo, algumas operações devem ser feitas manualmente e o código acaba ficando um pouco verboso e repetitivo, já que para cada objeto que se deseja transmitir é necessário fazer um método que lê as propriedades do JSON e faz as devidas atribuições no seu objeto Java. Vamos supor o seguinte objeto sendo transmitido em JSON: {   user: {     id: 123456,     name: "Neto Marin",     username: "netomarin",     email: "netomarin@globalcode.com.br"   } } Se você fosse tratar um Webservice que envia esse JSON para o seu aplicativo Android, além de criar a o