Pular para o conteúdo principal

Fechando o 2º ano do Ensino Médio com chave de ouro: Programação, Arduino, Automação e Cloud Computing



No início do ano (2010), mais precisamente em março, fiz um post sobre a introdução da Academia do Programador no Ensino Médio da Escola Fernão Gaivota, e agora ao término do ano apresento um projeto desenvolvido pelos alunos intitulado "CodeHome".

A Escola Fernão Gaivota realiza um evento anual intitulado “Fernão de Portas Abertas”, que tem como objetivo apresentar projetos desenvolvidos pelos alunos para toda comunidade. O projeto desenvolvido pelos alunos da Academia do Programador (Bianca, Caroline, Catarina, Leticia, Natália, Symon e Wesley) consistia na construção de uma casa de madeira com teto solar sensível a luminosidade controlado pelo Program-Me e pela placa Tomad@.

Programação do firmware
Mesmo antes da montagem da casa o firmware foi desenvolvido pelos alunos da Academia do Programador. Para a realização da programação, a turma foi divida em grupos e o programa escolhido foi o que conseguiu atender as necessidades do problema proposto, que consistia basicamente em fazer a utilização do sensor de luminosidade do Program-Me para controlar o motor, realizando a abertura e o fechamento do teto da casa.

A primeira versão do firmware apresentada pelos alunos continuava acionando o motor no sentido da abertura do teto mesmo com teto aberto e vice-versa. Este problema foi solucionado mantendo o estado do teto em uma variável booleana. O código final pode ser visto no site da "CodeHome".

A montagem do "hardware"


Falando do "hardware" da casa, podemos dizer que a “arquiteta” foi a Professora Christina, que além de projetar a casa, providenciou o trabalho de corte das madeiras e me orientou sobre a montagem. Na montagem os alunos estavam meio ressabiados com o martelo e trabalharam colando as paredes da casa e a maioria dos pregos “sobraram” para o Professor Adilson e para mim, que acabei martelando o dedo no processo.

Depois da montagem da estrutura da casa, a Professora Christina voltou para orientar os alunos
sobre o acabamento que foi realizado com massa corrida e tinta. Nesta hora teve início da montagem do teto propriamente dito, com ajuda providencial do Professor Márcio para a montagem da engrenagem e da cremalheira.

Ponte H controlando o motor do teto solar
O circuito utilizado para a realização do controle do motor DC, responsável pela abertura e fechamento do teto solar da casa foi baseado no artigo, do Jose Luiz Sanchez Lorenzo no blog da Elétron Livre, Ponte H de relés com Progra-Me e Placa Tomad@.

O firmware sofreu alguns ajustes finos após a montagem, como a configuração do tempo de funcionamento do motor e a sensibilidade do sensor de luminosidade de acordo com o ambiente.

Então no dia 16/10/2010 houve a apresentação do projeto no evento “Fernão de Portas Abertas” (Álbum no Facebook), no qual uma luminária no estilo Luxo (mascote da Pixar) fazia o papel do Sol. O tema norteador do evento foi “Sustentabilidade” e uma casa com teto solar sensível a luminosidade estava totalmente em sintonia com a proposta geral do evento.

Cloud Computing: Alunos do Ensino Médio nas nuvens

Porém o trabalho não parou por aqui, pois com o lançamento do 1º Concurso para alunos Globalcode: Google AppEngine, três alunas (Caroline, Letícia e Natália) aceitaram o desafio e se propuseram a desenvolver um site, intitulado "CodeHome" e a inscrevê-lo no concurso. No site podemos ver entre outras coisas, o código fonte do firmware, fotos da montagem, vídeo da casa em funcionamento, fechando com chave de ouro este projeto, que acredito foi muito proveitoso para todos os envolvidos.

Que venha 2011!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Saiba como programar para Arduino sem ter nenhum hardware disponível

O Arduino já é uma tecnologia muito difundida entre os amantes de tecnologia. É difícil encontrar um profissional da computação que não brincou um pouco com esta ferramenta de prototipagem ou, que gostaria de fazer isso. Porém, em alguns casos, o programador quer conhecer o arduino mas não dispõe de nenhum hardware, nem mesmo da placa. Como isso poderia ser resolvido? A primeira resposta seria aquela mais simples e direta: ir as compras. Isso pode ser feito em uma loja física ou pela internet. No meu caso, por exemplo, tive a felicidade de encontrar em um site (não me lembro qual) um kit arduino, com um conjunto de sensores e um DVD com 41 vídeo aulas. Mas digamos que o profissional não esteja passando por um bom momento financeiro, ou ainda, simplesmente não queira comprar o Arduino sem antes conhecê-lo um pouco melhor. Para a última situação também já existe uma resposta, e diga-se de passagem, uma excelente resposta. Trata-se do site 123D Circuits.io . Depois de criar seu u

Entendendo como funciona a programação de computadores: linguagens de programação, lógica, banco de dados

Nesse post, diferente dos últimos que foram mais enfáticos nas experiências com tecnologias, vou focar um pouco mais nos profissionais que estão começando, ou pretendem ingressar na área de desenvolvimento de software, falando sobre conceitos fundamentais relacionados a programação em geral . Mercado de trabalho para programação Conforme já sabemos, o mercado de desenvolvimento de software, especialmente no Brasil, continua em franca expansão, sendo que cada vez mais as empresas buscam desenvolver seus próprios sistemas usando as mais diferentes e novas tecnologias. Algumas matérias interessantes: As seis profissões mais valorizadas em 2010 no IDG Now! Muitas vagas e sensação de reaquecimento da economia Por isso, a área de desenvolvimento de software tem despertado interesse em muitos profissionais de outras áreas que desejam mudar de profissão, já que as oportunidades de trabalho tendem a ser maiores. Esse é um perfil presente em muitos dos clientes da Globalcode que acabou m

JSON fácil em Java com GSon !

Ola pessoal ! O formato JSON ( J ava S cript O bject N otation) vem se consagrando cada vez mais na comunicação de dados, principalmente nos dispositivos móveis devido a esse formato ser mais leve que o XML e também mais legível. Uma prova disso são as inúmeras bibliotecas que existem para manipular esse formato, e no caso do Android, o suporte ao JSON é nativo. Mas apesar de ter esse suporte nativo, algumas operações devem ser feitas manualmente e o código acaba ficando um pouco verboso e repetitivo, já que para cada objeto que se deseja transmitir é necessário fazer um método que lê as propriedades do JSON e faz as devidas atribuições no seu objeto Java. Vamos supor o seguinte objeto sendo transmitido em JSON: {   user: {     id: 123456,     name: "Neto Marin",     username: "netomarin",     email: "netomarin@globalcode.com.br"   } } Se você fosse tratar um Webservice que envia esse JSON para o seu aplicativo Android, além de criar a o