Pular para o conteúdo principal

Literais da Linguagem Java

Na última semana, tive uma conversa com um profissional Java iniciante que me apresentou dúvidas sobre o uso de valores hexadecimal na linguagem, inicialmente entendi que ele precisava da representação textual de um valor hexadecimal, então apresentei um método da classe wrapper Integer, conforme segue:

int valor = 15;
System.out.println(Integer.toHexString(valor)); //Imprime f

Só então após mostrar este exemplo, ficou claro que ele precisava exatamente do contrário, ou seja, qual a forma mais fácil de converter um número hexadecimal para um número decimal para atribuição a uma variável primitiva inteira. Esclareci que para isso não havia necessidade de conversão, bastaria usar uma literal hexadecimal presente na linguagem Java da seguinte forma:

int valor = 0xf; // ou 0XF
System.out.println(valor); //Imprime 15

Este episódio me motivou a escrever este post sobre os literais da Linguagem Java, então vamos lá.

De acordo com a especificação da linguagem (The Java™ Language Specification Third Edition http://java.sun.com/docs/books/jls/ ) a definição de um literal na linguagem Java, em tradução livre, é que um literal é uma palavra do código fonte que representa um valor referente a um primitivo, uma (java.lang.)String ou uma referência nula. Vamos então conhecer os literais da linguagem Java.

Inteiros

Os literais inteiros são representados por números inteiros, ou seja, sem o separador de decimais ponto (.), podendo ser positivos (precedidos ou não do sinal de mais +) ou negativos (precedidos do sinal de menos -) e composto pelos dígitos pertencentes a base referente.
Estes literais são do tipo primitivo int, exceto se for incluído o caractere L (maiúsculo ou l minúsculo) como sufixo, que indica que o literal é do tipo long, vale ressaltar que o caractere L (maiúsculo) deve ser usado preferencialmente ao l (minúsculo), pois facilita a leitura, visto que o caractere l (minúsculo) é facilmente confundido com o dígito 1.
Os inteiros decimais (base 10) são compostos pelos dígitos: 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9, não iniciados por zero (0), exceto o próprio zero (0), pois os literais que representam inteiros octais (base 8) são iniciados por zero (0) e compostos pelos dígitos: 0 1 2 3 4 5 6 7. Existem ainda os literais inteiros hexadecimais (base 16) que são compostos pelos dígitos 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 a b c d e f A B C D E F e iniciados pelo prefixo 0x (ou 0X).
Exemplos de literais inteiros:

Decimais: 0 -89 3568
Octais: 010 -028 -064
Hexadecimais: 0xCafe -0Xfefe 0xCade
long: 0XCOBOL -010L 78l

Ponto flutuante

Na linguagem Java uma literal do tipo ponto flutuante possui a parte inteira e a parte decimal separadas pelo ponto (.), e pode ser utilizada a notação E, ou representações hexadecimais com expoentes binários.
A notação E, utiliza para a representação do expoente decimal o caractere e (ou E) e uma literal de ponto flutuante hexadecimal utiliza o caractere p (ou P) para a representação do expoente binário.
Os literais em ponto flutuante são do tipo primitivo double, exceto se for incluído o caractere f (ou F) como sufixo, que indica que o literal é do tipo float. O caractere d (ou D) pode ser opcionalmente utilizado como sufixo para tipos double.
Estes literais podem ser positivos (precedidos ou não do sinal de mais +) ou negativos (precedidos do sinal de menos -) tanto na mantissa quanto no expoente, conforme exemplos:

Decimal: 1.0 -89.911 7895.05d
Notação E: -1e1D 1000e-3 0.31415e1
Hexadecimal: 0xFp-4 0X10.Ap1 0xCAFE.Ap+1
float: 3.14159f -2.5e9f 0x10.Ap-1f

Booleanos

As palavras true e false são literais do tipo primitivo boolean, ou seja, são valores que podem ser atribuídos diretamente para variáveis primitivas do tipo boolean, conforme código abaixo:

//declarando uma variável e atribuindo o valor booleano true
boolean teste1 = true;

Caractere

Um literal caractere é do tipo primitivo char, e pode ser representado por um único caractere ou uma sequência de escape entre aspas simples (‘). Um caractere pode ser representado por uma sequência de escape com o código hexadecimal Unicode (http://pt.wikipedia.org/wiki/Unicode, http://pt.wikipedia.org/wiki/UTF-16), precedido por \u, na seguinte faixa: de ‘\u0000’ até ‘\uFFFF’, ou ainda um código octal, precedido pelo caracter de escape \ (barra invertida) na seguinte faixa: de \000 até \377. A representação de escape octal foi inserida por compatibilidade com C, e devem ser preteridos pelo uso do Unicode.

Exemplos de literais char: 'a' ' $' 'Ω' '\u002E' '\177'

Caracteres de escape
Existem ainda os caracteres de escape que representam caracteres não imprimíveis, e também aspas simples, aspas duplas e barra invertida, utilizados conforme segue.

char backspace = '\b';
char tabulacao = '\t';
char novaLinha = '\n';
char novaPagina = '\f';
char retorno = '\r';
char aspasDuplas = '\"';
char aspasSimples = '\'';
char barraInvertida = '\\';

String

Um literal string é composto por zero ou mais caracteres entre aspas duplas ("), e uma literal string é sempre do tipo (java.lang.)String.
Devido a forma como os caracteres de escape Unicode são processados não é correto escrever "\u000a", devendo ser utilizado para tal "\n", e de forma similar deve ser usado "\r" ao invés de "\u000d".

String aspasDuplas = "\"";
String hello = "Hello";

Null

A palavra null, serve para anular uma referência a um objeto, para exemplificar:

/* declarando uma variável referencia do tipo Object
* e atribuindo um novo objeto
/*
Object referencia = new Object();
/* anulando a referencia, agora o objeto criado na linha
* anterior não está mais acessível pela variável referencia
*/
referencia = null;

Este post apresentou os literais da Linguagem Java sendo a maioria trivial, porém alguns nem tanto, como o literal hexadecimal com expoente binário, e é curioso saber também que 0xCOBOL é um literal da Linguagem Java.

Até mais!

Marcelo de Castro
http://twitter.com/mcastroinfo
http://www.globalcode.com.br/instrutores/MarceloCastro

Comentários

Aishi disse…
Exatamente o que eu estava procurando! Grato

Postagens mais visitadas deste blog

Saiba como programar para Arduino sem ter nenhum hardware disponível

O Arduino já é uma tecnologia muito difundida entre os amantes de tecnologia. É difícil encontrar um profissional da computação que não brincou um pouco com esta ferramenta de prototipagem ou, que gostaria de fazer isso. Porém, em alguns casos, o programador quer conhecer o arduino mas não dispõe de nenhum hardware, nem mesmo da placa. Como isso poderia ser resolvido? A primeira resposta seria aquela mais simples e direta: ir as compras. Isso pode ser feito em uma loja física ou pela internet. No meu caso, por exemplo, tive a felicidade de encontrar em um site (não me lembro qual) um kit arduino, com um conjunto de sensores e um DVD com 41 vídeo aulas. Mas digamos que o profissional não esteja passando por um bom momento financeiro, ou ainda, simplesmente não queira comprar o Arduino sem antes conhecê-lo um pouco melhor. Para a última situação também já existe uma resposta, e diga-se de passagem, uma excelente resposta. Trata-se do site 123D Circuits.io . Depois de criar seu u

Entendendo como funciona a programação de computadores: linguagens de programação, lógica, banco de dados

Nesse post, diferente dos últimos que foram mais enfáticos nas experiências com tecnologias, vou focar um pouco mais nos profissionais que estão começando, ou pretendem ingressar na área de desenvolvimento de software, falando sobre conceitos fundamentais relacionados a programação em geral . Mercado de trabalho para programação Conforme já sabemos, o mercado de desenvolvimento de software, especialmente no Brasil, continua em franca expansão, sendo que cada vez mais as empresas buscam desenvolver seus próprios sistemas usando as mais diferentes e novas tecnologias. Algumas matérias interessantes: As seis profissões mais valorizadas em 2010 no IDG Now! Muitas vagas e sensação de reaquecimento da economia Por isso, a área de desenvolvimento de software tem despertado interesse em muitos profissionais de outras áreas que desejam mudar de profissão, já que as oportunidades de trabalho tendem a ser maiores. Esse é um perfil presente em muitos dos clientes da Globalcode que acabou m

JSON fácil em Java com GSon !

Ola pessoal ! O formato JSON ( J ava S cript O bject N otation) vem se consagrando cada vez mais na comunicação de dados, principalmente nos dispositivos móveis devido a esse formato ser mais leve que o XML e também mais legível. Uma prova disso são as inúmeras bibliotecas que existem para manipular esse formato, e no caso do Android, o suporte ao JSON é nativo. Mas apesar de ter esse suporte nativo, algumas operações devem ser feitas manualmente e o código acaba ficando um pouco verboso e repetitivo, já que para cada objeto que se deseja transmitir é necessário fazer um método que lê as propriedades do JSON e faz as devidas atribuições no seu objeto Java. Vamos supor o seguinte objeto sendo transmitido em JSON: {   user: {     id: 123456,     name: "Neto Marin",     username: "netomarin",     email: "netomarin@globalcode.com.br"   } } Se você fosse tratar um Webservice que envia esse JSON para o seu aplicativo Android, além de criar a o