Pular para o conteúdo principal

Appengine e os períodos de manutenção

Uma das funcionalidades do Google AppEngine(GAE) que eu acho mais fantásticas -principalmente para nós desenvolvedores-, é a possibilidade de deixar sua aplicação preparada para momentos em que haverá alguma manutenção nos servidores do GAE ou mesmo uma 'queda' inesperada de um serviço. Isso fizemos também no site da YaW.

Qualquer serviço web, por mais que esteja disponível 24/7/365 em algum momento deverá sofrer uma paralisação seja por uma manutenção, atualização ou qualquer problema imprevisto.

Com o GAE não é diferente, a grande vantagem é que o próprio ambiente lhe avisa destes momentos, sendo que você pode deixar sua aplicação já pronta para continuar funcionando(mesmo que não 100%) durante estes períodos.

A camada de persistência(Datastore) por exemplo, em períodos de manutenção, entra em um estado especial em que somente é possível realizar leituras na base(read-only), nenhuma modificação ou alteração na base é permitida. Nestes períodos, se a aplicação realizar alguma escrita ou modificação, o próprio servidor do GAE lhe lançará uma exception informando da impossibilidade de escritas e modificação, lhe dando a possibilidade de ao invés de ficar com toda a sua aplicação fora do ar, você pode capturar esta exceção e informar ao usuário que determinada operação não foi possível no momento e que tente novamente mais tarde(ou qualquer coisa do tipo...).
Caso você esteja utilizando JPA, este seria algo parecido com o seu código de tratamento:
EntityManager em = EntityManagerFactory.createEntityManager();
try {
em
.persist(entidade);
em
.close();
} catch (com.google.apphosting.api.ApiProxy.CapabilityDisabledException e) {
// Esta exceção informa que o Datastore está em modo read-only.
// Tente novamente mais tarde.
}

Simples e indolor, não?

Outra API que possibilita tratar períodos críticos do GAE é a API de cache. Durante períodos de manutenção ela também é desabilitada e entra em um estado de 'somente leitura'. Porém a principal diferença para o Datastore nestes períodos, é que isso acontece de forma transparente para sua aplicação, impactando talvez somente na performance, pois toda vez que você tentar gravar uma informação em cache neste período, a escrita é ignorada, e toda leitura lhe retorna uma referência nula, como se o cache não encontrasse nenhuma entrada para sua busca.
De qualquer forma, se você quiser saber mesmo assim quando o cache está fora de serviço, é possível com o seguinte código:
MemcacheService ms = MemcacheServiceFactory.getMemcacheService();
ms
.setErrorHandler(new StrictErrorHandler());

try {
ms
.put(key, value);
} catch (com.google.appengine.api.memcache.MemcacheServiceException e) {
// Caso capturou esta exception, é sinal que o Memcache está fora
}

Um detalhe muito importante sobre estes períodos é também sobre a sessão web. Internamente as sessões no GAE são gerenciadas pelo Memcache e pelo Datastore, logo, as sessões também estão em modo read-only durante estes períodos. Ou seja, mais um detalhe a se levar em consideração durante o design de sua aplicação no GAE.

http://twitter.com/rafanunes
http://twitter.om/youandwe
http://www.yaw.com.br

Comentários

Yara Senger disse…
Muito legal estes recursos do Google App Engine. Valeu Rafael!

[]s
Yara

Postagens mais visitadas deste blog

Saiba como programar para Arduino sem ter nenhum hardware disponível

O Arduino já é uma tecnologia muito difundida entre os amantes de tecnologia. É difícil encontrar um profissional da computação que não brincou um pouco com esta ferramenta de prototipagem ou, que gostaria de fazer isso. Porém, em alguns casos, o programador quer conhecer o arduino mas não dispõe de nenhum hardware, nem mesmo da placa. Como isso poderia ser resolvido? A primeira resposta seria aquela mais simples e direta: ir as compras. Isso pode ser feito em uma loja física ou pela internet. No meu caso, por exemplo, tive a felicidade de encontrar em um site (não me lembro qual) um kit arduino, com um conjunto de sensores e um DVD com 41 vídeo aulas. Mas digamos que o profissional não esteja passando por um bom momento financeiro, ou ainda, simplesmente não queira comprar o Arduino sem antes conhecê-lo um pouco melhor. Para a última situação também já existe uma resposta, e diga-se de passagem, uma excelente resposta. Trata-se do site 123D Circuits.io . Depois de criar seu u

Entendendo como funciona a programação de computadores: linguagens de programação, lógica, banco de dados

Nesse post, diferente dos últimos que foram mais enfáticos nas experiências com tecnologias, vou focar um pouco mais nos profissionais que estão começando, ou pretendem ingressar na área de desenvolvimento de software, falando sobre conceitos fundamentais relacionados a programação em geral . Mercado de trabalho para programação Conforme já sabemos, o mercado de desenvolvimento de software, especialmente no Brasil, continua em franca expansão, sendo que cada vez mais as empresas buscam desenvolver seus próprios sistemas usando as mais diferentes e novas tecnologias. Algumas matérias interessantes: As seis profissões mais valorizadas em 2010 no IDG Now! Muitas vagas e sensação de reaquecimento da economia Por isso, a área de desenvolvimento de software tem despertado interesse em muitos profissionais de outras áreas que desejam mudar de profissão, já que as oportunidades de trabalho tendem a ser maiores. Esse é um perfil presente em muitos dos clientes da Globalcode que acabou m

JSON fácil em Java com GSon !

Ola pessoal ! O formato JSON ( J ava S cript O bject N otation) vem se consagrando cada vez mais na comunicação de dados, principalmente nos dispositivos móveis devido a esse formato ser mais leve que o XML e também mais legível. Uma prova disso são as inúmeras bibliotecas que existem para manipular esse formato, e no caso do Android, o suporte ao JSON é nativo. Mas apesar de ter esse suporte nativo, algumas operações devem ser feitas manualmente e o código acaba ficando um pouco verboso e repetitivo, já que para cada objeto que se deseja transmitir é necessário fazer um método que lê as propriedades do JSON e faz as devidas atribuições no seu objeto Java. Vamos supor o seguinte objeto sendo transmitido em JSON: {   user: {     id: 123456,     name: "Neto Marin",     username: "netomarin",     email: "netomarin@globalcode.com.br"   } } Se você fosse tratar um Webservice que envia esse JSON para o seu aplicativo Android, além de criar a o