Pular para o conteúdo principal

ScrumToys disponível no NetBeans 6.8

Com o lançamento da versão final do NetBeans 6.8 realizado recentemente em conjunto com o anúncio da versão final do Java EE 6 e Glassfish v3, resolvemos experimentar a versão do projeto ScrumToys que acompanha esta IDE e certificar que está tudo ok.

Quem instalar a nova versão do NetBeans (download aqui!) já terá imediatamente disponível o projeto ScrumToys como um exemplo de aplicação Web que demonstra diversas das novas funcionalidades do JSF 2.0. Basta acessar a IDE e criar um novo projeto e escolher no painel de exemplos o ScrumToys, como ilustra a imagem ao lado. Após ter o projeto aberto, basta executar (pressionar F6 ou 'play'). Considerando que o Glassfish foi instalado junto com o NetBeans, a compilação, empacotamento e deploy serão realizados. Em alguns segundos o usuário verá a página inicial da aplicação através do navegador de internet disponível.

O vídeo a seguir ilustra como experimentar esta aplicação.


O código fonte completo estará disponível após criar o projeto exemplo e poderá ser analisado a qualquer momento pelo desenvolvedor.

Esta aplicação foi desenvolvida por um grupo de instrutores e desenvolvedores do corpo técnico da Globalcode atendendo à solicitação do líder da especificação do JSF 2.0, Ed Burns. Logo o projeto ganhou espaço e foi incorporado ao pacote de exemplos que acompanham esta nova versão do NetBeans. Este projeto também está disponível no repositório SVN do projeto Mojarra (implementação de referência do JSF 2.0) que pode ser acessado no site java.net. Quem desejar propor melhorias ou correções pode contribuir enviando sugestões para os responsáveis pelo projeto indicados no site.

Para outras informações sobre o ScrumToys veja em:
By Spock
http://blog.spock.com.br/
P.S.: Read this post in english!

Comentários

Yara Senger disse…
Gostaria de parabenizar todos que participaram deste projeto, é simplesmente sensacional ver o resultado. Baixar o NetBeans, e lá está nosso projeto educaciona.

Sem palavras para agradecer o esforço de cada um de vocês : domingos, noites, almoços resolvendo bugs e melhorias no projeto.

Um abraço,
Yara
Daniel disse…
Olá,

vcs poderiam dar uma olhada nesse tópico do fórum para me ajudar? Encontrei problemas ao rodar o exemplo.
Clique no meu nome(link) para ver o erro no fórum do netbeans.
Dr. Spock disse…
Olá Daniel,

Notei que o problema reportado é um bug no ScrumToys.

Em uma classe customizada que implementa um custom scope tem um atributo privado do tipo Application, que não é serializável. Quando fazermos o shutdown do Glassfish ou da aplicação, o Glassfish serializaem disco a sessão do usuário. Após ligar o Glasshfish ou a aplicação novamente, o Glasshfish restaura todas as sessões serializadas. Ao recuperar o TaskScope, o Glassfish tenta colocar uma String no lugar do Application, resultando no erro de ClassCasException reportado.

Para efeito de demostração das funcionalidades do JSF 2.0, este erro não prejudica porque a sessão recuperada será perdida. Mas, a aplicação e o Glasshfish continuam rodando. Então, o usuário conseguirá abrir o navegador e acessar a aplicação com uma nova sessão.

O certo seria não usar um atributo privado para o Application e sim sempre usar o FacesContext para obter este objeto dentro do metódo implementado.

Obrigado pelo feedback!
[]'s
Spock
http://blog.spock.com.br/
iluminati disse…
parabens pela iniciativa cara
agradeço fortemente

Postagens mais visitadas deste blog

Saiba como programar para Arduino sem ter nenhum hardware disponível

O Arduino já é uma tecnologia muito difundida entre os amantes de tecnologia. É difícil encontrar um profissional da computação que não brincou um pouco com esta ferramenta de prototipagem ou, que gostaria de fazer isso. Porém, em alguns casos, o programador quer conhecer o arduino mas não dispõe de nenhum hardware, nem mesmo da placa. Como isso poderia ser resolvido? A primeira resposta seria aquela mais simples e direta: ir as compras. Isso pode ser feito em uma loja física ou pela internet. No meu caso, por exemplo, tive a felicidade de encontrar em um site (não me lembro qual) um kit arduino, com um conjunto de sensores e um DVD com 41 vídeo aulas. Mas digamos que o profissional não esteja passando por um bom momento financeiro, ou ainda, simplesmente não queira comprar o Arduino sem antes conhecê-lo um pouco melhor. Para a última situação também já existe uma resposta, e diga-se de passagem, uma excelente resposta. Trata-se do site 123D Circuits.io . Depois de criar seu u

Entendendo como funciona a programação de computadores: linguagens de programação, lógica, banco de dados

Nesse post, diferente dos últimos que foram mais enfáticos nas experiências com tecnologias, vou focar um pouco mais nos profissionais que estão começando, ou pretendem ingressar na área de desenvolvimento de software, falando sobre conceitos fundamentais relacionados a programação em geral . Mercado de trabalho para programação Conforme já sabemos, o mercado de desenvolvimento de software, especialmente no Brasil, continua em franca expansão, sendo que cada vez mais as empresas buscam desenvolver seus próprios sistemas usando as mais diferentes e novas tecnologias. Algumas matérias interessantes: As seis profissões mais valorizadas em 2010 no IDG Now! Muitas vagas e sensação de reaquecimento da economia Por isso, a área de desenvolvimento de software tem despertado interesse em muitos profissionais de outras áreas que desejam mudar de profissão, já que as oportunidades de trabalho tendem a ser maiores. Esse é um perfil presente em muitos dos clientes da Globalcode que acabou m

JSON fácil em Java com GSon !

Ola pessoal ! O formato JSON ( J ava S cript O bject N otation) vem se consagrando cada vez mais na comunicação de dados, principalmente nos dispositivos móveis devido a esse formato ser mais leve que o XML e também mais legível. Uma prova disso são as inúmeras bibliotecas que existem para manipular esse formato, e no caso do Android, o suporte ao JSON é nativo. Mas apesar de ter esse suporte nativo, algumas operações devem ser feitas manualmente e o código acaba ficando um pouco verboso e repetitivo, já que para cada objeto que se deseja transmitir é necessário fazer um método que lê as propriedades do JSON e faz as devidas atribuições no seu objeto Java. Vamos supor o seguinte objeto sendo transmitido em JSON: {   user: {     id: 123456,     name: "Neto Marin",     username: "netomarin",     email: "netomarin@globalcode.com.br"   } } Se você fosse tratar um Webservice que envia esse JSON para o seu aplicativo Android, além de criar a o