Pular para o conteúdo principal

BUG no JDK da SUN

Todos conhecem os métodos print e println da classe PrintStream, pois já devem ter utilizado as instruções System.out.print ou System.out.println para imprimir alguma mensagem no console. Pense rápido: O que acontece se passarmos um parâmetro nulo no método println?

System.out.println(null);

Ocorre um erro de compilação. Mas vamos mudar a pergunta. O que acontece se passarmos uma referência nula no parâmetro do método println?

String str = null;
System.out.println(str);

Compila e imprime a String "null", pois o método println chama o método print, que por sua vez valida se a referência é nula, e caso seja, inicializa o valor com o texto "null", veja abaixo a sequência dos métodos:

public void println(String x) {
synchronized (this) {
print(x);
newLine();
}
}
public void print(String s) {
if (s == null) {
s = "null";
}
write(s);
}

Mas o que acontece se passarmos qualquer outro objeto no parâmetro do método println?

Object obj = null;
System.out.println(obj);

Também compila, pois o método println sobrecarregado com o parâmetro do tipo Object, chama o método print sobrecarregado com o parâmetro do tipo Object:

public void println(Object x) {
synchronized (this) {
print(x);
newLine();
}
}

Mas por não ser uma String, antes de chamar o método write para imprimir a mensagem no console, é chamado o método valueOf da classe String, passando esse objeto como parâmetro para obter um texto:

public void print(Object obj) {
write(String.valueOf(obj));
}

E por segurança, para evitar um NullPointerException, é validada se a referência do parâmetro é nula, e caso não, então chama o método toString da classe Object, ou o método toString do próprio objeto, caso tenha sido sobrescrito.

public static String valueOf(Object obj) {
return (obj == null) ? "null" : obj.toString();
}

E nesse caso como a referência é nula, retorna a String "null". Mas você deve estar pensando: Para que tudo isso? Nem estou estudando para certificação...Ou, o Eclipse e Netbeans verificam isso pra mim...Ou, o corinthians vai retomar a boa fase...Ou, etc... Fiz tudo isso para contar uma historinha e montar uma linha de raciocinio para ficar mais fácil de visualizar o erro que encontrei.

Sabemos que quando passamos um objeto como parâmetro no método println ou print, é chamado o método toString() da classe Object ou o da própria classe caso tenha sido sobrescrito.
Agora a última pergunta: o que acontece se sobrescrevermos o método toString retornando null e passarmos o objeto dessa nossa classe como parâmetro no método println?

public class Test {
public static void main(String[] args) {
Test t = new Test();
System.out.print(t);
}
public String toString() {
return null;
}
}

Compila, mas estoura um NullPointerExcpetion, pois como vimos anteriormente, o método println chama o método print sobrecarregado para o parâmetro do tipo Object, que chama o método valueOf da classe String:

public void print(Object obj) {
write(String.valueOf(obj));
}

E o método valueOf chama o toString do nosso objeto, que retornará um null:

public static String valueOf(Object obj) {
return (obj == null) ? "null" : obj.toString();
}

Passando então uma referência nula para o método write, que por sua vez chama o método write da classe BufferedWriter que tenta chamar o método length da classe String e como o objeto é nulo...BUM, estoura um NullPointerException:

public void write(String str) throws IOException {
write(str, 0, str.length());
}

Nesse momento fiquei feliz, pois encontrei um bug na JVM da SUN e iria mandar imediatamente para eles e ficar famoso (brincadeira), até me lembrar que estava usando o Java 5. E quando fui testar com o Java 6, o problema já tinha sido resolvido. Mostrei o problema ao Kleber, instrutor da Globalcode, que lamentou junto comigo.

Mas eu não iria postar esse texto enorme caso não houvesse nenhum bug, certo? Talvez sim, mas nesse caso não. Na semana seguinte o Kleber comentou que no Java 6 o problema ainda persistia no método print, pois foi corrigido apenas o método println.

Já enviei o bug para a SUN, tenho certeza que não ficarei famoso por isso, mas ficaria feliz caso eles me enviassem um Voucher, rs...Eles ainda não publicaram no site, mas acho que em breve estará disponível no link: http://bugs.sun.com/bugdatabase/

E não precisam se assustar, pois não costumo sobrescrever o método toString retornando null, esse cenário ocorreu em um dos laboratórios com EJB3 do curso Academia Enterprise, e achei que fossem muitos outros problemas até encontrar a verdadeira causa, e depois que mostrei para os colegas da turma eles também não se conformaram, rs.

Aproveitem isso para apostar almoços com seus amigos javeiros, eu já ganhei dois (brincadeira denovo)...

Comentários

Unknown disse…
O método toString deve retornar uma representação String do Objeto. Se o objeto não é nulo, o toString deve retornar uma String não nula.
Não existe bug, é só saber o contrato do método.
É como dizer que HashMap e o HashSet contém bugs porque você não sabe implementar o equals e o hashCode.
Perenha disse…
Olá Diego,
Concordo com você sobre o método toString, mas o bug que comentei no post se encontra no método print da classe PrintStream.
Pois ele faz uma chamada ao método toString do objeto e em seguida chama o método length do objeto String retornado. E se houve algum erro na sobrescrita do método toString, retornando nulo, estoura um NullPointerException.
Eu ainda acho que é um bug, pois esse problema foi corrigido para o método println na versão 6. Mas eu mandei o problema para a SUN, eles demoram um pouco para responder, mas se eles disserem que não é um bug, eu prometo enviar para você.
Abraço.
Yara Senger disse…
Rodrigo, eu gostei muito do post, mas pela experiência em sala de aula do que pelo próprio bug.

Ao encontrar um erro em um programa, as vezes pensamos "Não é possível, eu estou fazendo tudo certo. Já conferi várias vezes, deve ser um bug".

Infelizmente, ou felizmente na maioria das vezes o erro é nosso... (risos).E comprovar que é um bug nem sempre é trivial.

Mas, se pensarmos bem, quando o erro é realmente um bug é muito pior, pois sendo um erro nosso corrigimos e pronto. Caso seja mesmo um bug E caso o software seja Open source, ainda assim não está totalmente no nosso controle corrigir o bug. Mas existem esperanças. (risos)

Por isto, acredito que neste caso, mais importante do que o próprio bug é a experiência vivenciada, uma das formas mais motivadoras de convencer as pessoas sobre a importância do Open Source, e muitas vezes capaz de transformar uma pessoa ou uma empresa de usuário de Open Source para colaborador, ou "commiter" de um projeto.

Você já testou no OpenJDK ?

PS: Talvez você já seja colaborador, manifestei minha opinião de forma geral.

[]s
Yara

Postagens mais visitadas deste blog

Saiba como programar para Arduino sem ter nenhum hardware disponível

O Arduino já é uma tecnologia muito difundida entre os amantes de tecnologia. É difícil encontrar um profissional da computação que não brincou um pouco com esta ferramenta de prototipagem ou, que gostaria de fazer isso. Porém, em alguns casos, o programador quer conhecer o arduino mas não dispõe de nenhum hardware, nem mesmo da placa. Como isso poderia ser resolvido? A primeira resposta seria aquela mais simples e direta: ir as compras. Isso pode ser feito em uma loja física ou pela internet. No meu caso, por exemplo, tive a felicidade de encontrar em um site (não me lembro qual) um kit arduino, com um conjunto de sensores e um DVD com 41 vídeo aulas. Mas digamos que o profissional não esteja passando por um bom momento financeiro, ou ainda, simplesmente não queira comprar o Arduino sem antes conhecê-lo um pouco melhor. Para a última situação também já existe uma resposta, e diga-se de passagem, uma excelente resposta. Trata-se do site 123D Circuits.io . Depois de criar seu u

Entendendo como funciona a programação de computadores: linguagens de programação, lógica, banco de dados

Nesse post, diferente dos últimos que foram mais enfáticos nas experiências com tecnologias, vou focar um pouco mais nos profissionais que estão começando, ou pretendem ingressar na área de desenvolvimento de software, falando sobre conceitos fundamentais relacionados a programação em geral . Mercado de trabalho para programação Conforme já sabemos, o mercado de desenvolvimento de software, especialmente no Brasil, continua em franca expansão, sendo que cada vez mais as empresas buscam desenvolver seus próprios sistemas usando as mais diferentes e novas tecnologias. Algumas matérias interessantes: As seis profissões mais valorizadas em 2010 no IDG Now! Muitas vagas e sensação de reaquecimento da economia Por isso, a área de desenvolvimento de software tem despertado interesse em muitos profissionais de outras áreas que desejam mudar de profissão, já que as oportunidades de trabalho tendem a ser maiores. Esse é um perfil presente em muitos dos clientes da Globalcode que acabou m

JSON fácil em Java com GSon !

Ola pessoal ! O formato JSON ( J ava S cript O bject N otation) vem se consagrando cada vez mais na comunicação de dados, principalmente nos dispositivos móveis devido a esse formato ser mais leve que o XML e também mais legível. Uma prova disso são as inúmeras bibliotecas que existem para manipular esse formato, e no caso do Android, o suporte ao JSON é nativo. Mas apesar de ter esse suporte nativo, algumas operações devem ser feitas manualmente e o código acaba ficando um pouco verboso e repetitivo, já que para cada objeto que se deseja transmitir é necessário fazer um método que lê as propriedades do JSON e faz as devidas atribuições no seu objeto Java. Vamos supor o seguinte objeto sendo transmitido em JSON: {   user: {     id: 123456,     name: "Neto Marin",     username: "netomarin",     email: "netomarin@globalcode.com.br"   } } Se você fosse tratar um Webservice que envia esse JSON para o seu aplicativo Android, além de criar a o